12 de novembro de 2013 | 5:58 | Reportagem: MARCO FILHO

Williams confirma contratação de Felipe Massa


Enfim, a confirmação. Depois de ter sido dispensado na Ferrari após oito temporadas, Felipe Massa vai dar continuidade à carreira na F1 por meio da Williams. O acordo entre o brasileiro e a equipe inglesa foi anunciado nesta segunda-feira (11) em nota. Massa entra no lugar do venezuelano Pastor Maldonado e terá Valtteri Bottas como companheiro.

A tradicional equipe britânica não vive o melhor de seus anos na F1, é bem verdade. Depois de encerrar um jejum de vitórias que já durava oito anos, com o triunfo de Maldonado no GP da Espanha do ano passado, a Williams amarga em 2013 um fraco nono posto no Mundial de Construtores, com apenas um ponto, conquistado por Pastor em Hungaroring.

Massa, por sua vez, vai seguir o caminho de outros nomes importantes do automobilismo brasileiro, que também viram na esquadra britânica a oportunidade de permanecer na elite do esporte a motor no mundo. Foi lá que Rubens Barrichello disputou suas últimas duas temporadas na F1, antes de ser substituído por Bruno Senna, que defendeu a escuderia no ano passado.
A equipe de Frank Williams também já foi a casa na história recente de outros nomes tupiniquins, como Antonio Pizzonia, mas foi a passagem de Ayrton Senna pelo time, em três etapas em 1994, a mais marcante. O tricampeão morreu tragicamente a bordo do carro inglês no GP de San Marino daquele ano. Nelson Piquet, por outro lado, viveu um período vitorioso em Grove, culminando com o tricampeonato em 1987.
Felipe estreou na F1 em 2002 pela Sauber, temporada que terminou em 13°, com quatro pontos. No ano seguinte, o paulista iniciou seu contato definitivo com a Ferrari, ao virar piloto de testes. Em 2003, voltou a competir pela equipe suíça, onde permaneceu por mais dois anos, antes de virar titular em Maranello em 2006, ano também da primeira vitória na F1, no GP da Turquia. Massa ainda venceria em Interlagos.
Durante as oito temporadas em que representou a Ferrari, Massa conquistou 15 poles e 11 vitórias, além de 36 pódios. O ponto alto da carreira do brasileiro foi o vice-campeonato em 2008, quando disputou o título até a última curva da volta final da prova em Interlagos contra o inglês Lewis Hamilton, da McLaren. Massa cruzou a linha de chegada em primeiro em São Paulo, mas, segundos depois, Hamilton conseguiu superar o alemão Timo Glock na curva da Junção para se sagrar campeão.
E o maior drama de sua vida na F1 também foi vivido dentro do carro italiano. Na temporada seguinte, quando foi atingido por uma mola que escapou do carro de Rubens Barrichello, durante a classificação do GP da Hungria, Felipe acabou ficando de fora do restante da temporada, se recuperando das lesões do acidente na pista húngara e voltou apenas em 2010, para formar a parceria com Fernando Alonso, marcada pelo enorme domínio do espanhol e pelo episódio da polêmica ordem de equipe da Ferrari no GP da Alemanha naquele mesmo ano.
Em 2013, Massa vive um Mundial irregular novamente, assim como fora em 2012. Sem conseguir os mesmos êxitos de Alonso, Felipe ocupa apenas a oitava posição na classificação, com 102 pontos, 105 de diferença para o bicampeão, o segundo colocado.
Agora, Massa tem a chance de se reinventar e construir uma nova história na F1.
MSN
A informação sobre o negócio entre o time de Grove e Felipe foi antecipada semanas atrás pelo jornalista Americo Teixeira Jr., dono do Diário Motorsport, parceiro do GRANDE PRÊMIO e colunista da REVISTA WARM UP. Ainda de acordo com o jornalista, o contrato de Massa com o time britânico é de cinco anos.


Você pode comentar esta matéria usando o seu perfil no Face, no Yahoo, no Hotmail ou no AOL. (Os comentários não representam a opinião do site e são de responsabilidade dos seus respectivos autores. Manifestações abusivas poderão responder de acordo com a Lei.)
Publicidade

Vestindo você melhor
Rua 13 de Maio - 09
(88) 3541 2670




Metas Comunicações 2007/2014 © - Todos os Direitos Reservados