Justiça havia determinado que o serviço continuasse até contratação de nova empresa, no prazo de 90 dias.

A Prefeitura contratou outra empresa de forma emergencial para manter os serviços.

Empresas descumprem ordem judicial e Marabá fica sem transporte público As empresas Nasson Tur e TCA, que operam o transporte público de Marabá, sudeste do estado, descumpriram decisão judicial que determina que continuassem operando no município até contratação de nova empresa, no prazo de 90 dias.

A Prefeitura Municipal contratou outra empresa de forma emergencial para manter os serviços.

Os serviços foram paralisados neste sábado (15).

Alguns coletivos ainda estavam circulando no final da manhã pelo Terminal de Integração.

Na garagem, a maioria dos veículos já estava parada e descaracterizada para serem levados para a sede das empresas em Goiás.

Segundo a prefeitura, 40 coletivos devem chegar à cidade.

Os transportes já deveriam circular na sexta (14), o que causou transtornos no município.

A previsão é que os novos coletivos devem chegar até o fim do dia deste sábado e comecem a operar no domingo (16). Decisão Na decisão judicial, o Poder Judiciário da Comarca de Goiânia, em Goiás, onde tramita o processo de transporte público de Marabá, decidiu que o prazo de paralisação do serviço seja estendido até a nova contratação no prazo de até 90 dias. Segundo a Justiça, a paralisação da empresa antes do tempo, ou seja, no dia 15 de fevereiro, como havia concedido antes judicialmente, teria potencial de inviabilizar parcialmente o serviço, considerado essencial à população. As empresas Nasson Tur e TCA fazem o transporte de passageiros no município desde 2009, mas devido à série de reclamações, um novo processo licitatório foi aberto em 2019 para contratação de nova empresa.

A previsão é que o processo de licitação seja concluído até maio deste ano.