Dos 24.278 segurados convocados, 15,7% não compareceram; prazo para regularização é de seis meses.

Quatro mil aposentados da região têm benefício bloqueado por não fazerem prova de vida A falta de 'prova de vida' foi responsável por bloquear 3,8 mil benefícios do INSS na região de Campinas (SP) no último ano.

A ação é obrigatória a todo segurado que recebe valores da Previdência por mais de 12 meses, e que deve ser feita uma vez por ano, independente da idade. Em 2019, 24.278 segurados foram convocados para realizar a prova de vida, mas 15,7% não compareceram.

Para confirmar a manutenção do benefício, a pessoa deve ir à agência bancária em que recebe o pagamento e apresentar um documento com foto.

Para quem perdeu o prazo, há seis meses para a regularização.

Após esse período, o benefício pode ser cassado. De acordo com advogada Marcela Mazzo, especialista em previdência, o procedimento é simples, mas muitos segurados perdem o prazo por não receberem o aviso do banco. "A própria agência bancária onde ela recebe o benefício que convoca o segurado para comparecer e fazer a prova de vida lá.

O banco avisa o prazo para fazer essa prova de vida por meio de SMS [mensagem] ou mesmo no caixa eletrônico.

Às vezes a pessoa não compareceu mais à agência bancária, ou trocou de celular, trocou de número e não avisou ao banco, e não teve acesso a esse aviso.

E aí ela acaba passando por esse transtorno de ter o benefício suspenso ou até cancelado", diz. No caso de pessoas com dificuldades de locomoção, é possível que um procurador seja cadastrado no INSS para que ele realize a prova de vida para o segurado. Previdência Social da região de Campinas suspendeu 3,8 mil benefícios por falta de prova de vida Reprodução/EPTV Veja mais notícias da região no G1 Campinas