Distribuição ocorre durante evento da AfD.

Polícia investiga se houve crime de incitação ao ódio e Assembleia Legislativa quer saber se livro foi impresso com verbas públicas.

A polícia está investigando um evento realizado por deputados estaduais do partido populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD) na Renânia do Norte-Vestfália, segundo noticiou nesta terça-feira (18) a imprensa alemã. No evento que ocorreu na segunda-feira em Krefeld, no oeste da Alemanha, foram distribuídos livros de colorir com desenhos xenófobos.

Intitulado Renânia do Norte-Vestfália para Colorir, traz numa de suas páginas, por exemplo, uma imagem com diversos homens em carros com armas e bandeiras da Turquia na mão. Outra imagem aparece uma faixa com a inscrição "Nós pagamos o pato" em cima de uma piscina, onde há várias mulheres usando burcas e homens com ossos no cabelo atacando mulheres que estão de maiô.

Um dos desenhos apresenta mulheres com véu islâmico cercadas de vários filhos.O autor da publicação seria um suposto Roberto Obscuro. Pelo Twitter, a polícia local afirmou que tem conhecimento sobre o livro de colorir e que já foi apresentada uma queixa contra a bancada estadual da AfD na Renânia do Norte-Vestfália por incitação ao ódio. Segundo a emissora alemã WDR, a Assembleia Legislativa também está apurando se verbas públicas destinadas aos deputados foram usadas para a produção e impressão do controverso livro. Diante das críticas, os parlamentares da AfD alegaram que a publicação era uma sátira e que estariam sofrendo um ataque à liberdade de expressão.

A bancada populista disse que as imagens são "desenhos satíricos sobre a situação no país" e que a obra foi "inspirada em livros de colorir para adultos". Os populistas acusaram ainda "extremistas de esquerda" por fotografarem o livro e "quererem ver um suposto escândalo".

O líder da bancada, Markus Wagner, disse que "ataques à liberdade artística" devem ser respondidos com "mais cópias". O líder da bancada do Partido Social-Democrata (SPD) na Renânia do Norte-Vestfália, Thomas Kutschay, condenou a publicação.

"A AfD publicou um livro de colorir racista.

Agora quer incitar até crianças com sua ideologia desumana.

Nota sobre reciclagem de resíduos: esse livro pertence à lixeira marrom", escreveu no Twitter.

Na Alemanha, o marrom é a cor associada ao nazismo.