Trump, Putin e Angela Merkel aparecem entre os líderes alvos de sátira.

A ativista Greta Thunberg e o Brexit também serão lembrados durante os desfiles em cidades como Mainz e Colônia.

Boneco representando o presidente dos EUA, Donald Trump, como o palhaço Pennywise, de “It”, é exibido à imprensa em Colônia, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Martin Meissner Bonecos com cabeças e corpos gigantes representam líderes mundiais em desfiles provocadores no tradicional carnaval do oeste da Alemanha.

Bonecos representando os líderes da China, Xi Jinping; Reino Unido, Boris Johnson; Rússia, Vladimir Putin; Estados Unidos, Donald Trump; e Coreia do Norte, Kim Jong-un, como palhaços são exibidos à imprensa em Colônia, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Martin Meissner Bonecos representando o Brexit e membros do Parlamento britânico como esqueletos são exibidos à imprensa em Colônia, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Martin Meissner Este ano eles incluem um vitorioso primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, com uma sombria rainha Elizabeth II atrás dele, um presidente russo, Vladimir Putin, sem camisa segurando um controle remoto para comandar o tanque de guerra ocupado pelo presidente turco Recep Tayyip Erdogan e um triunfante presidente dos EUA, Donald Trump, com o celular no lugar da lira.

Bonecos representando a ativista Greta Thunberg e o líder do Partido Verde alemão Robert Habeck surfando na onda dela são exibidos à imprensa em Colônia, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Martin Meissner Bonecos representando terror, fome e mudanças climáticas são exibidos à imprensa em Colônia, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Martin Meissner A Associação de Carnaval de Mainz apresentou as coloridas figuras na terça-feira (18), antes de elas saírem às ruas para entreter uma multidão em um tradicional desfile na próxima segunda-feira.

Boneco representando o presidente dos EUA, Donald Trump, como o imperador romano Nero é exibido à imprensa em Mainz, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Michael Probst Bonecos representando os presidentes russo, Vladimir Putin, e turco, Recep Tayyip Erdogan, são exibidos à imprensa em Mainz, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Michael Probst Mainz, Colônia e Düsseldorf, três grandes cidades alemãs ao longo do rio Rino, são famosas por seus provocadores bonecos políticos.

Durante o carnaval, apelidado de “quinta estação do ano”, antes do início da comemoração cristã da Quaresma, as pessoas tradicionalmente têm permissão para fazer piada com aqueles que estão no poder.

Bonecos representando o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e a rainha Elizabeth II são exibidos à imprensa em Mainz, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Michael Probst Boneco representando a primeira-ministra alemã Angela Merkel, segurando uma boneca matryoshka com o rosto de Greta Thunberg é exibido à imprensa em Mainz, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Michael Probst Os famosos desfiles de rua no carnaval, que percorrem quilômetros através das cidades, incluirão não apenas os bonecos, mas também dezenas de bandas de metais, grupos de dança e "carnavalistas" que jogam toneladas de doces para os foliões nas ruas. Bonecos representando a primeira-ministra alemã, Angela Merkel, e a líder da CDU, Annegret Krampp-Karrenbauer, são exibidos à imprensa em Mainz, na Alemanha, em prévia do Carnaval, na terça-feira (18) AP Photo/Michael Probst