Em 2019, o número de vagas nas penitenciárias era de 7.069, para um total de 12.015 presos.

A quantidade caiu pra 6.910 vagas ocupadas por 10.727 detentos.

Corredor (pavilhão principal) é composto por 14 celas Dani Fechine/G1 O número de vagas em presídios da Paraíba diminuiu entre 2019 e 2020.

No entanto, em contrapartida, a superlotação também sofreu uma queda.

É o que mostra um novo levantamento exclusivo do G1.

Os dados, do Monitor da Violência, têm como base informações oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. Em 2019, o número de vagas nas penitenciárias era de 7.069, para um total de 12.015 presos.

A quantidade caiu pra 6.910 vagas ocupadas por 10.727 detentos.

Foram 159 vagas a menos de um ano para o outro.

No entanto, conforme os dados, 748 novas vagas estão em construção.

Essas vagas representam também uma diminuição na superlotação dos presídios.

A superlotação, em 2019, chegou a atingir 70% da capacidade total das penitenciárias paraibanas.

Com a diminuição do número de presos, mas também do número de vagas, a superlotação caiu para 55,2%. As estatísticas que também sofreram uma diminuição foram as de presos provisórios, aqueles que ainda não tiveram julgamento do caso.

Em 2019, eram 4.522 presos provisórios, o que correspondia a 37,6% do total de presos.

Em 2020, o número caiu para 3.755, representando 35% do total. De acordo com os dados levantados pelo G1, a Paraíba tem 347 presos em regime aberto, 1.175 em regime semibaerto e 5.797 em regime fechado.

O restante ou são presos provisórios ou estão detidos em delegacias.